sexta-feira, 18 de novembro de 2011

alcatifa cinzenta.




preciso do Inverno como todas as outras estações. sem excepções, sem exageros. sofro com o calor, detesto vento. adoro noites quentes, não vivo sem nuvens escuras. calma lá...dizer que a minha vida depende de um conjunto de pequenas partículas de água suspensas na atmosfera, parece-me um pouco exagero. a bem da coerência altero para: adoro noites quentes, deliro com nuvens escuras. acabou-se o exagero, aparece um pouco de demência.

todas as estações são cúmplices do nosso planeamento do dia-a-dia. a maneira como vivemos o nosso tempo útil é alterado e o nosso ano fica um monte diversificado de experiências adaptadas às condições que nosso senhor jesus cristo nos dá. (pausa longa) sim, é verdade, foi uma piada. além das diferenças óbvias e obrigatórias, das diferentes datas do ano, existem outras singularidades que me agradam muito. para ser actual, falarei do Inverno.
gosto de não ter frio. portanto, gosto que esteja frio e que eu esteja no meio dele mas sem o sentir. gosto da roupa de inverno. malhas com padrões que fazem lembrar a minha infância. gosto de correr a fugir da chuva e cada vez que dou dois passos a chuva intensifica-se. adoro voltar para a cama ainda quente depois de dar de comida ao meu gato às 4:30 am.

há, de facto, coisas estranhas que criam uma ligação afectiva. alcatifa cinzenta, por exemplo.

1 comentário:

Veronique disse...

Que bem que me soube ler-te de volta, assim, num texto onde te consigo identificar, simplesmente.