sábado, 17 de fevereiro de 2007

Um Click, e pronto.


Até me sinto um pouco envergonhado. E não tenho problemas nenhuns em dizer que gosto, e até vejo regularmente, a telenovela brasileira da Sic “Páginas da Vida”. Quando é boa ficção, mesmo sendo novelas, tem que se dizer e apreciar.
O que tenho um pouco de vergonha em contar é que chorei a ver o The Click de Adam Sandler. Pronto. Já disse. O filme não é mau. Mas também não é relevante o suficiente para escrever aqui no blog. O que gosto realmente do filme é a ideia. Ter um comando que com um simples click é possível fazer um freeze, avançar no tempo, recuar, e mais tudo que puderem imaginar, é realmente uma grande ideia. Gosto do Adam Sandler. Mas é um actor muito conformado que faz os seus próprios filmes, não inovando muito a nível de acting. É quase sempre “ele” mesmo em todos os filmes, sendo um dos seus grandes filmes, uma anti comédia romântica: Punch-Drunk Love de 2002.

Enfim, sou muito sensível. Realmente as cenas, em que eu chorei, são muito comoventes. Mas é uma comédia de Sandler. Bolas. Ainda hoje vou ver o Ilusionista com o Edward Norton. Será que irei verter lágrimas por causa desse filme também?

I’m such a crying baby!

1 comentário:

Wellington Almeida disse...

«Até me sinto um pouco envergonhado. E não tenho problemas nenhuns em dizer que gosto..»

Olha as contradições, logo no primeiro paragráfo! és mesmo um mariquinhas! rsss ;)